surveillanceme

Archive for April, 2009|Monthly archive page

MY OLD [no]POST[ed]S#01/2008 :: DESINTEGRAÇÃO IDEOLÓGICA/ ‘hipótese01’

In the 'old' ones :: master pieces on April 30, 2009 at 7:10 pm

Kracauer em Ismail [1977/84]:

“…Resultaria daí a crise dos valores, a dissolução da cultura, a relatividade dos costumes e a falta de perspectiva que estaria atingindo a todos os membros da ‘multidão solitária’. …

Estes desafios [da ciência no século XX] estarão concentrados em torno de duas questões básicas” onde “o conhecimento científico acarreta [por uma maneira abstrata] em sua manipulação de conceitos, quantificação e em seus instrumentos mediadores de nossa percepção da realidade” fazendo com que, para Kracauer, o homem se aliene [se desengaje] “da realidade concreta”…

Como resposta a estes desafios “em princípio, será função, não só do cinema mas da arte em geral, produzir experiências aptas a fornecer o retorno ao mundo concreto, a provocar a reativação da percepção direta e vivida dos eventos.

…a idéia de uma reeducação pela apreensão estética. A arte … significaria a garantia de que a sensibilidade humana não estaria condenada à morte.

…se quisermos entender um pouco mais a condição humana, é [a partir da] realidade palpável do cotidiano.”

be continue…

D.K. – “The Skin of Culture”#02.2 [notes about]

In academic bursary on April 16, 2009 at 8:46 pm

Cap.#02 “TELEVISÃO – O Imaginário Coletivo” [cont.]

“Perceber a nossa cultura televisiva implica conhecer a razão e a forma como a televisão nos fascina para além do nosso consciente. …o sistema nervoso autônomo dos mamíferos mais evoluídos está treinado para responder a qualquer alteração perceptível no ambiente que seja relevante para a sobrevivência.” [p.39]

“A pergunta é evidente: em que é que a TV é relevante para a nossa sobrevivência? Em termos de conteúdo, pouco. Mas o principal efeito da televisão, como McLuhan não se cansava de repetir, produz-se não ao nível do conteúdo mas sim do próprio meio, com o piscar constante do feixwe de electrons percorrendo o ecrã.”

A questão que se coloca aqui é uma possibilidade da técnica e da tecnologia aplicada a uma problemática biológica

D.K. – “The Skin of Culture”#02.1 [notes about]

In academic bursary on April 14, 2009 at 8:47 pm

Cap.#02 “TELEVISÃO – O Imaginário Coletivo”

“Steven Kline … inventou um sofisticado sistema de análise das reações fisiológicas das pessoas a qualquer coisa que lhes seja mostrada.”

clockwork orange - kubrick

“a clockwork orange” [1971], by Stanley Kubrick

Derrick de Kerckhove [famoso discípulo de McLuhan] segue a contar sua experiência: “…Os cortes surgiam em média de quinze em quinze segundos. … vinte minutos de duração da experiência, … o ecrã de vídeo tem um  impacto tão direto sobre o meu sistema nervoso e as minhas emoções, e tão pouco efeito sobre a mente…”

notes about D.K. – “The Skin of Culture” – is it a bullshit?!

In academic bursary on April 14, 2009 at 7:41 pm

Cap.#01 <> TECNOPSICOLOGIA*

“A nossa realidade psicológica não é uma coisa ‘natural’. Depende parcialmente da forma como o nosso ambiente, incluindo as próprias extensões tecnológicas, nos afeta.”

Trends at Technology:  ou eh caro ou o publico que eh ignorante >> “…a melhor e mais útil tecnologia do mundo não pode impor-se a um público não preparado. Porque não pode haver espaço para ela na nossa psicologia coletiva

McLuhan chamou de “A NARCOSE DE NARCISO” [o que outros observadores culturais chamariam de “forças de marketing”

“Os nossos sistemas políticos e de educação estão a arrastar-se muito atrás da nossa tecnologia e do nosso marketing…”

A psicologia possui funções reguladoras [do homem civilizado e sua atuação ‘correta’ junto à sociedade], onde “o papel da psicologia pode ser o de interpretar e integrar os efeitos da tecnologia nos sujeitos.” [p.33]

*este livro foi lido e fichado via páginas em xerox.desta maneira ao ler [p.33], por exemplo, identificar páginas duplas [maneiras de visualização e leitura deste material ‘original’].

O termo psicotecnologia foi baseado, segundo o autor, no modelo de biotecnologia “para definir qq tecnologia que emula, estende ou amplifica o poder das nossas mentes. …[dispositivos] que juntos estabelecem um domínio de processamento de informação. É o domínio das psicotecnologias. Vista deste prisma, a televisão torna-se a nossa imaginação coletiva projetada fora do nosso corpo … A TV é literalmente, como Bill Moyers lhe chamou, ‘uma mente pública’ [Television the Public Mind, 1989]

A TELEVISÃO COMO ESPAÇO PÚBLICO DE MENTES COLETIVAS [ver tbem Ivana Bentes]

“As tecnologias do vídeo dizem respeito não só ao nosso cérebro, mas a todo o sistema nervoso e aos sentidos … a nossa relação com os écrans. …Com efeito, a característica essencial, a interação, a capacidade que garante a nossa autonomia individual dentro da poderosa tendência da coletivização psicotecnológica, é fornecida pelos computadores e ainda mais eficazmente pelas redes de computadores.” [p.35]

now i earn to read & write!

In academic bursary on April 14, 2009 at 7:12 pm

I can’t post everything here in english, because some texts are translated to portuguese… but here you’ll have all information about it, then you can read it in your own language!

🙂

be my guess!

😉